quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Serie A Criatura 2/28


Apostila 02

A CRIATURA


Pudemos compreender, da apostila anterior, que todos os sistemas de galáxias existentes no Universo são conglomerados estelares administrados e vivificados por Seres Arcangélicos. A essa organização administrativa chamada de hierarquia demos o nome de Colegiado da Galáxia. Uma vez assim compreendido, vamos agora de encontro às questões relacionadas ao sistema planetário de que a Terra faz parte.
Antes, porém, queremos lembrar que a vida é um constante evoluir. Esse constante evoluir, para acontecer, exige o continuado desdobrar das criações. Ou seja, não pode existir a estagnação. Qualquer que seja o nível evolutivo que um indivíduo se encontre, dos mais inferiores aos altamente categorizados que se conheça, sempre haverá algo de maior a que ele tenha de se dispor a fazer.
Desta forma, as galáxias são os ninhos desse desdobrar de ações nos vários planos de variadas densidades da matéria. Dentro de seus limites há um constante transformismo.
A figura ao lado traduz essa movimentação. Temos o que podemos chamar de energia informe, que vem de ser o princípio de todas as coisas. João, o evangelista, dá a esse princípio o nome de o VERBO DIVINO. Allan Kardec denominou-o de Fluido Cósmico Universal. Helena P. Blavatsky apoiando-se na nomenclatura sânscrita chamou-o de Fohat. André Luiz, tratando desse mesmo princípio nas suas manifestações em nosso universo chamou-o de Luz Coagulada.
A figura, portanto, mostra que do princípio único desdobram-se, sob a ação das arcangélicas criaturas, as mutações da massa primordial, tomando densidades e formas diferentes que vêm de compor cada plano distinto de vida. Nesses planos há um fervilhar de transformações. Por exemplo, ao nível da matéria do plano em que a Terra se situa, dentro dos limites da Via Láctea, estrelas se formam, estrelas se desintegram. Vidas que nascem, vidas que morrem. Mas nada se perdendo, e tudo se transformando. Os átomos que formam as estrelas são os mesmos que formam nosso corpo físico. Tudo ocorrendo como meta de trabalho evolutivo. Tudo como forma de proporcionar ao indivíduo ambiente e recursos onde ele possa empregar do que já sabe, e, principalmente, avançar e dominar sobre novas descobertas. Enfim, subir mais um degrau evolutivo.
Portanto, a vida é um constante renovar, é um constante descobrir. Essa informação vem nos contar que o Universo e, por conseqüência, cada galáxia que o compõe, não se acha inteiramente concluído em sua construção. Como imaginamos que nunca estará. E a Via Láctea, o nosso bairro dessa imensa cidade cósmica, está na mesma situação: inconclusa. Muito já se fez; muito está por fazer.
E´ aí que entra na cena cósmica de nossa vida a formação de nosso sistema planetário. As arcangélicas criaturas que compõem o Colegiado da Galáxia, por alguma razão que foge às possibilidades de nossa compreensão, decidem que um novo sistema planetário deve ser formado.
Analisam mapas desse gigantesco aglomerado de mundos e determinam o espaço interestelar a ser ocupado pelo novo sistema.
Para visualizarmos tão imponente designação, e apenas para fins de nosso estudo, e só para isso, no desenho da figura 02B, indicamos pela letra "Z" a região da Via Láctea na qual surgiria o novo campo de vida.
Uma vez determinadas as linhas gerais do novo conjunto planetário, as excelsas criaturas do Colegiado da Galáxia escolhem os elementos que irão dirigir e orientar a gigantesca tarefa.
Tudo isso nos parece fantástico e inverossímil, porém, esta visão não é nossa. Nossa é só a interpretação de várias informações contidas nas literaturas que citamos na bibliografia. E dentre uma delas faremos referência a trecho do livro DEVASSANDO O INVISÍVEL, autoria de Yvonne A. Pereira, editado pela Federação Espírita Brasileira, páginas 33, 34 e 37, onde a autora conta das sociedades que administram a vida no cosmo.
Ela detalha, com rara riqueza de informações, das poderosas mentes que se juntam para exercitar no manuseio dos fluidos e, dessa força motriz formada pela associação das mentes, tornar realidade a planificação de criação das esferas estelares e planetárias.
Esferas estelares e planetárias que ela chamou de "colônias" a virem ser moradas de humanidades, berços de Mônadas que ali evoluirão.
Como vêm, e os leitores interessados devem compulsar o livro indicado, os trechos referidos acima, oriundos de uma fonte digna de crédito, não deixam margem de dúvida de que no cosmo não há um BUUUUM aleatório, e muito menos efeitos de um acaso que deram origem ao que nossos olhos contemplam. Mas sim um determinismo, um planejamento cujas razões ainda fogem ao nosso conhecimento.
- - - / / / - - -
Neste ponto de nossa narrativa abrimos um parêntese para advertir sobre o seguinte: A linguagem que estamos usando para historiar o feito é inteiramente montada sobre figurações. Para essas figurações tomamos por analogia as formas de decisões e providências comuns às que o homem da Terra está acostumado a vivenciar. Estamos usando desse recurso para mais fácil compreensão. De outra forma, se usássemos só da linguagem metafísica dos textos de que nosso resumo se origina, teríamos que alongar exaustivamente toda a narração, com a descrição dos significados correspondentes. Assim, optamos por essa maneira simplória de descrever, mas que, contudo, em si, encerra a descrição de um solene ato transformativo no universo.
Portanto, por favor, não tomem as nossas palavras ao pé da letra, mas esforcem-se para nelas enxergar uma verdade que vai se tornando inegável à medida que o Homem avança em sua evolução, e os recursos tecnológicos vão proporcionando maior alcance do conhecimento, tais como os satélites espaciais que enviam às bases terrestres informações e fotografias que revelam um universo rico em vida muito além do que se pôde imaginar até agora.
Além disso, para as dúvidas maiores, aconselhamos consultar as obras indicadas na bibliografia. Voltemos ao nosso estudo.
- - - / / / - - -
Dizíamos que, após a determinação da região galáctica a ser ocupada, os excelsos dirigentes escolhem os elementos que irão dar direção e cumprimento a tão estupefaciente planejamento. Convocam tais elementos e lhes participam as orientações gerais: Criar um novo sistema planetário na região "A" da Via Láctea, de forma a que este venha a possuir as seguintes características....... e descrevem-lhes toda a ideação.
Com essa convocação dá-se por formada a cúpula da Comunidade de Espíritos Puros que irá dirigir os destinos do futuro sistema.
Ilustrativamente, e apenas para corroborar com a nossa compreensão, fizemos representar essa cúpula administrativa conforme a figura 02C que é vista abaixo.
Ao elemento Maior de todo o conjunto as escrituras hindus denominam de o Primeiro Logos. Ao elemento seguinte e diretamente subordinado ao anterior, chamam-no de o Segundo Logos. Ao outro elemento dão o nome de Terceiro Logos, que, por sua vez, também se acha diretamente subordinado ao Primeiro Logos. (A Doutrina Secreta, volume II, páginas 280 e 282)
A função primordial de cada um deles e:
1º Logos - O Criador-Transformador - Aquele cujos poderes faz a energia primordial transmutar-se em incontáveis outras. Estas virão a ser o substrato dos futuros mundos. Além dessa especificação, pelo uso de seus poderes separam-se da energia primordial os quantuns que se tornarão as centelhas de vida. Ou, falando mais claro, que se tornarão os futuros espíritos. (Vejam figura 04C apostila 04).
2º Logos - O Vivificador - Aquele que tomando sob seus cuidados as partições quânticas da matéria primordial citada acima, vivifica-ás. Transmite-lhes de si o alento da vida. Acorda-ás, para que desse instante em diante tornem-se "Vivas". Vivas no sentido do que entendemos por vida do espírito. Portanto, a partir desse ato elas se tornam as Mônadas de Consciências. Os Eus futuros. André Luiz, espírito, pela psicografia de Francisco Cândido Xavier, as denomina de Crisálidas de Consciências.
3º Logos - O Materializador - Aquele que tomando das demais frações da energia transformada pelo 1º Logos, materializa-as. Condensando-as de forma adequada faz surgir os diferentes aglomerados de átomos que serão as respectivas matérias tangíveis dos diferentes planos para as existências manifestas das Mônadas.
Para a consecução das providências iniciais descritas acima, bem como as que se seguiram, e as que até hoje são tomadas, os três dirigentes maiores arregimentam a colossal equipe que os auxiliará na realização dos planos.
Descrevendo esse maravilhoso evento, Emmanuel, espírito, pela psicografia do inimitável médium Francisco Cândido Xavier, à página 17 do livro A Caminho da Luz, editado pela Federação Espírita Brasileira, informa da existência de uma comunidade de "Espíritos Puros" a regerem a vida das "coletividades planetárias". Esta é outra fonte de fidedigna confiança, a que o leitor deve pesquisar.
Prosseguindo, podemos dizer que está formado o magnificente grupo de seres excelsos que doravante farão surgir na Via Láctea, e o dirigirão, o novo conjunto de planetas. O nosso sistema Solar.
Iniciam, pois, tão prazenteira e gigantesca tarefa. Prazenteira, porque, imaginamos nós, é fenomenalmente fantástica a criação de sistemas de mundos. Se pequenos aqui nesta vida nos sentimos felizes quando criamos alguma coisa boa, imaginemos, então, quão grandiosa deve ser a sublime emoção de ver MUNDOS se formando ! E gigantesca porque essa obra além de imensurável, fisicamente para nós, demanda milhões e milhões de séculos de planejamento, ação de execução e administração de sua existência. Naturalmente estamos falando em termos de tempo terrestre.
E sobre essa complexidade, é bom lembrar que num sistema planetário não é só a criação dos globos do sistema físico. Paralelamente, e interpenetrando-se, também são criados os globos dos demais planos de existência, a que nos referiremos a partir da apostila 03. Só por esta citação, sem descer a detalhes, podemos imaginar a enorme complexidade de transformações para todo o sistema atingir o ponto onde se encontra.
E Eles, os grandes Mestres, nos dizem que estamos só a meio caminho...
Mas retomemos a narrativa. A comunidade de Espíritos Puros dirige-se para a região "Z". (Ver figura 02B)
Como primeira ação o 1º Logos delimita, com sua aura, o espaço a ser ocupado pelo novo sistema. No uso de seus poderes inicia o transformismo da matéria primordial, adequando-a às mais diferentes variedades, (ver figura 01A, apostila 01), afim de proporcionar a formação dos diferentes planos de vida a coexistirem no novo sistema.
A figura a seguir, 02D, folha 4, representa parte da Via Láctea onde são vistos alguns sistemas planetários já existentes à época em que o sistema solar, onde se situa nossa Terra, tinha o início de sua formação.
Também é vista a delimitação da região que chamamos de "Z", a ser ocupada pelo novo sistema planetário. O nosso atual sistema.
As eras se sucedem, e a obra da criação de um novo sistema solar prossegue.

Bibliografia:
Autor - Título - Editora

Allan Kardec - A Gênese - páginas 111, 117, 118 à 140 da 19ª edição - Federação Espírita Brasileira
Allan Kardec - O Livro dos Espíritos - 1º Livro, caps. 2, 3 e 4 - 2º Livro cap. 1 - Livraria Allan Kardec Editora
André Luiz/Francisco C. Xavier - Ação e Reação - página 87 - Federação Espírita Brasileira
André Luiz/Francisco C. Xavier - Evolução em Dois mundos - Federação Espírita Brasileira
André Luiz/Francisco C. Xavier - Obreiros da Vida Eterna - páginas 50 e 51 - Federação Espírita Brasileira
Arthur E. Powell - O Sistema Solar - Editora Pensamento
Arthur E. Powell - O Corpo Causal e o Ego - Editora Pensamento
Charles W. Leadbeater- A Clarividência - página 51 - Editora Pensamento
Charles W. Leadbeater - A Mônada - Editora Pensamento
Edgar Armond - Os Exilados da Capela - Editora Aliança
Emmanuel/Francisco C. Xavier - A Caminho da Luz - Federação Espírita Brasileira
Erich von Daniken - O dia em que os Deuses Chegaram - Editora Melhoramentos
E. Norman Pearson - O Espaço, o Tempo e o Eu - Edição do Autor
Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta - Volumes I ao VI - Editora Pensamento
Itzhak Bentov - À Espreita do Pêndulo Cósmico - Editora Cultrix/Pensamento
Pietro Ubaldi - A Grande Síntese - Livraria Allan Kardec Editora
Ramatis/Hercílio Maes - Mensagens do Astral - Livraria Freitas Bastos
Zecharia Sitchim - O 12º Planeta - Editora Best Seller
Yvonne A. Pereira - Devassando o Invisível - Federação Espírita Brasileira
Zecharia Sitchim - O Código Cósmico - Editora Best Seller

Apostila escrita por
LUIZ ANTONIO BRASIL
Maio de 1996
Revisão Janeiro de 2005

Série A Criatura 1/28



Introdução

Desde a mais tenra adolescência carregávamos um ideal: conhecer a origem do SER. Todavia, filho de família modesta, não lograva recursos para atender a tão ambicioso anseio. Mas não esmoreci. Percorrendo os mais variados caminhos de orientação religiosa e filosófica fui colhendo indicações. Nesse percurso, em 1974, encontrei a doutrina estruturada por Allan Kardec. O Espiritismo. Abracei-a com afeto e, como bons amigos, fomos seguindo estrada afora.
Em 1979 fui presenteado com a obra máxima de Pietro Ubaldi, A Grande Síntese. Esta me acrescentou, ao anterior horizonte estruturado por Allan Kardec, mais larga faixa de entendimento. Foi mais um amigo que abracei afetuosamente.
Em 1981 novo salto me foi concedido. Iniciava a conhecer o grandioso feito de Helena Petrovna Blavatsky. A Teosofia, e sua obra basilar: A Doutrina Secreta.
Pronto, ali estava o trio que convertia em realidade os sonhos do adolescente, o de conhecer a origem e real vivência do SER. A alegria em ter o espírito saciado por tão fecundas fontes entusiasmara-me ao desejo de escrever o que entrevia.
E o fiz. Audaciosamente o fiz.
Por algum tempo, é bem verdade, reteve-me o receio do ridículo perante os companheiros de ideal que, embora cheios de boa vontade, contudo se deixavam prender só pelas primeiras letras do alfabeto do espiritualismo. Um pouco, digamos assim, de sectarismo. Entretanto, a coragem se renovou quando, também em 1981, lendo o livro Memórias de um Suicida, de autoria de Yvonne A. Pereira, e editado pela Federação Espírita Brasileira, encontrei nas páginas 456 e 457 a descrição de um evento que estava se dando nos planos espirituais.
Ali se descrevia que estagiários na espiritualidade fariam um curso com o fito de conhecerem das ciências do oculto, isto é, daquilo que não é popularmente conhecido, principalmente nas religiões ocidentais. A autora do livro denominou a tal ciência do oculto de "Doutrina Secreta".
Ao ler tal referência de imediato me reportei ao trabalho de Helena Petrovna Blavatsky, A Doutrina Secreta. Havia, portanto, uma similitude de propósitos nas diferentes fontes que vinham me dessedentando. Não havia porque temer o que eu sentia por inspiração. Era encorajar-me. A partir dali estavam derribadas todas as barreiras que me induziam ao silêncio. Agora, era pôr em ordem didática todos aqueles escritos e desenhos inspirativos que de tempos em tempos me chegavam, dando-lhes uma forma seletiva.
Conclui, e aí esta o que me foi possível fazê-lo, embora em espírito visualize muito mais. Todavia, de uma coisa estou certo. Para estes escritos se tornarem possíveis muito devo a Allan Kardec, Helena Petrovna Blavatsky e Pietro Ubaldi. Os luminares que romperam de vez com a espiritualizante obscuridade em que se engolfava a humanidade, abrindo para esta os caminhos do infinito.
Percorrê-los, fica na vontade de cada um.
_________________________________________________________________
Esclarecimento
A figura apresentada ao início destas notas, me foi inspirada por nossos Mestres. Isso aconteceu no dia 20 de Abril de 1985, às 14 horas. Tanto quanto me foi possível traduzir a imagem transmitida, dada minha imperfeição de canalização psíquica, quanto artística, assim a desenhei, como ela se mostra.
Ofereço-a, nestas anotações, em sincera homenagem aos Mestres que me inspiraram fazê-la.
Tal qual toda imagem inspirativa, esta também tem sua significação, que é a seguinte:
A figura humana ao fundo representa o 1º Logos, que é o criador e diretor geral do sistema Solar. Ele se encontra por detrás e à frente de tudo o que acontece, acompanhando, atentamente, o andar de seus tutelados;
A mão esquerda simboliza o 2º Logos, aquele que despertou as Mônadas. E´ o vivificador. Por isso vemos saindo daquela mão o foco de irradiação da vida que ao longo do tempo foi se transformando ao passar pelos diversos reinos;
A mão direita representa o 3º Logos, aquele que promoveu todo o transformismo energético, transmutando-o nas infinitas formas de agregados químicos. Na figura vemos que Ele apóia a longa esteira do caminho por onde transitam as Mônadas vestindo seus corpos de manifestação. Esta esteira simboliza os agregados químicos que deram origem às matérias dos vários planos de existência;
A estrada simboliza, também, os Devas e os seus muitos auxiliares, nos trabalhos de conduzir as criaturas ao longo das existências;
E as figuras sobre a estrada são as diversas fases que as Mônadas vivenciaram e vivenciarão neste planeta. São os reinos: mineral, vegetal, animal, elemental, hominal e o próximo, ou o Super Humano.
Esta é a visão cósmica, e alegórica, desse fenomenal acontecimento: criação e evolução de um SER, bem como de todo o aparato que o cerca por evos e evos nessa eternidade inimaginável. Ao longo das anotações todos entenderão os significados dos nomes acima citados.

Luiz Antonio Brasil
Poços de Caldas
Sul de Minas
Junho de 2005



Apostila 01

ESCLARECIMENTO


Esta coletânea de apostilas tem o intento de estudar o SER. Não somente o que chamamos de Ser Humano, este ser físico que temporariamente habita a face do planeta Terra, mas sim, estudar o SER TOTAL. Principalmente, conhecer de sua contra-parte imperecível, o verdadeiro animador deste corpo nosso.
Obviamente, meus recursos intelectuais e pecuniários, são escassos para tão arrojada Idealização. Porém, mesmo dentro desses estreitos limites tentarei sobrepassar as fronteiras do que me parece impossível.
Para isso, juntando as informações que estão ao meu alcance estarei construindo uma visão mais acessível para se entender o SER Total. O caminho a ser percorrido é áspero, pois, embora não sendo poucas as fontes que falam do homem terrestre, todavia são pouquíssimas as dignas de confiança e que se atreveram a descrevê-lo em sua plenitude: homem físico e homem espiritual.
Não fosse o acesso que a vida me permitiu a essas poucas fontes, autênticas em seriedade e objetividade, jamais poderia, de mim mesmo, tocar, mesmo que de leve, em tão complexo tema.
Portanto, desde este início peço que me desculpem por opiniões errôneas que possam surgir ao longo das apostilas. Caso venham a acontecer, e possivelmente acontecerão, lancem a culpa na reconhecida incapacidade deste que as escreve, e jamais às fontes recorridas, pois estas são o somatório de capacitados pesquisadores. Interpretá-los não é empreitada fácil, e daí, equívocos poderão advir.
Isso porque, ao nível atual de minha evolução, jamais conseguiria traduzir com perfeição, seja em palavras ou desenhos, a visão da imponente mecânica da Criação. Pretendo apenas ser útil em alargar os horizontes do conhecimento daquilo que muitos consideram oculto, mas que o é, somente, para os que não têm o desejo da busca, ou para aqueles outros que ainda não se interessaram em olhar para dentro de si.
Devo, também, aqui registrar a orientação inestimável daquele que do Mundo Maior tem me incentivado, e impulsionado para iniciar e dar continuidade a tão importante estudo. E tal vem ocorrendo desde aqueles primevos dos anos 70, quando ele me dizia: "não podemos fechar nossos olhos ao imensurável, e nem esquecer que somos filhos das Estrelas."
Assim, peço aos que lerem estas anotações, que emitam suas críticas oportunas em prol de meu próprio melhoramento, pois, como aprendiz e não de qualquer outra forma, me lancei à busca do infinito, sabendo que, se mesmo nessa categoria de iniciante não o fizer, não sedimentarei em mim a coragem que me trouxe à própria vida.
O roteiro deste estudo ? Da Centelha inicial ao Homem Superior !

- - - / / / - - -


A CRIATURA


O cosmo, também chamado de a fronteira final, é para nós o ninho formador de todas as vidas. Ao contemplarmos essa imensidão indescritível nossos olhos se extasiam ante inigualável harmonia e beleza.
Durante as horas do dia, sob uma abóbada azulínea reina o grande astro de nosso sistema. Sua imponente luz derrama-nos calor e vida, e enriquece a face de nosso planeta com a verdejante exuberância das plantas. Que lindo contraste de cores nosso astro maior nos proporciona. Sua luz dourada esverdeia ainda mais a vida vegetal na Terra. Todavia, com a calota do azul do céu emoldurando nossa morada, dá-nos a impressão de que estamos sozinhos no universo.
No entanto, durante as horas da noite mudam-se as figurações. O sol se vai, mas surge um astro menor com sua diamantina luz. A bela lua. Mas não vem sozinha. Acompanhando-a, forra-se o céu com um manto de estrelas. E de fato assim o é. Durante as horas da noite pontilha-se a imensidão de incontáveis piscar de luzes. São as estrelas. E elas desmentem a ilusão das horas do dia, quando pensávamos que estávamos sozinhos no universo.
Contam-nos elas da solidariedade existente entre todas, pois umas se apoiando nas outras, e, mutuamente se equilibrando, viajam infinito afora.
Então descobrimos ! Não estamos sozinhos no indescritível. Incontáveis sóis, que são eles as estrelas, como o nosso, também arrastam seus planetas discípulos, moradas de almas, aprendizes como nós. Filhos de outros pais, habitando outras casas, situadas em outras ruas, porém de uma só e mesma cidade, por nome COSMO !
E uma criança ao nosso lado, olhando o céu noturno, nos pergunta: - Que habilidosos dedos colocaram, um-a-um, aqueles pontinhos lá em cima ?
Nos engasgamos para responder, pois embora idosos, muito pouco, quase nada, sabemos sobre os habilidosos dedos criadores de mundos. Entretanto, uma certeza temos, e esta coisa alguma a afastará de nós. A certeza de que, indubitavelmente, dedos habilidosos pontilharam de luz e vida a assombrosa beleza chamada UNIVERSO !

- - - / / / - - -
E o Universo aí está aos nossos olhos. Tudo o que dele se falou desde Copérnico e Galileu começa a ser revisto, ante as novas descobertas feitas pelo olho gigante do telescópio Hubble, esse bisbilhoteiro que os Estados Unidos da América do Norte pôs a viajar pelo espaço, bem como de outros equipamentos, sejam telescópios ou radiotelescópios que estão instalados em vários países.
Muito boas essas providências feitas pelos vários governos, pois teorias até então tidas por infalíveis começam a se ruborizar na vergonha do engano. As descobertas que agora estão sendo catalogadas mexem com toda a estrutura da atual ciência astrofísica e, muito em breve, abalarão as teses filosóficas e religiosas existentes na Terra. Tudo terá que ser repensado.
Essa situação nos faz lembrar a perguntinha de nosso amiguinho acima, e concluímos, ante a nova visão, que só dedos, muitíssimos habilidosos poderiam ter montado esse intrincado quebra-cabeças.
Mas se os homens das academias começam a tremer por causa das descobertas que chegam a cada momento, não estranhariam tanto se tivessem, sem orgulho, dado umas voltinhas pela literatura do ocultismo religioso arcaico. Como recusaram esse passeio, se sentem surpreendidos por algo que os arianos da chapada mongólica, dezenas de milhares de anos antes de nós, já o sabiam. Isto é, sobre a formação dos globos, das eras e das vidas. A história que eles nos contam falam das mãos cujos habilidosos dedos puseram cada Terra em seu lugar no espaço, no tempo adequado a cada uma delas.
- - - / / / - - -
Essa história relata: Há no cosmo uma hierarquia administrativa. Ao contrário do que se imagina, o cosmo não é um vazio e abandonado ao ermo. Por todos os seus cantos permeiam as vidas, e todo o sistema, como afinadíssima orquestra, é regido por essa hierarquia.
Culminando essa hierarquia está o INCRIADO, a Inteligência Suprema. Aquilo, ou Aquele, que nós os terráqueos chamamos de Deus.
Dessa fonte emana a primordial energia que preenche e constitui o cosmo. Embora seja impossível traduzi-Lo por palavras ou desenho, representamo-lo na figura que é vista abaixo, Fig.01A, como alguma coisa de forma indefinida.
Esta figura se presta, apenas, ao caráter didático destes estudos.
Não tomar a figura como a expressão possível do Incriado. Portanto, nossa figurinha significa o ápice dessa hierarquia a que estamos nos referindo.
Mas até então, por esse tempo que a figura imaginativamente expressa, - se é que ao tratarmos da eternidade possamos falar em tempo ou em época - tudo é um vazio dentro do TODO.
Épocas sem conta remontaram épocas. Tudo, simplesmente, ainda inimaginável para nós os humanos.
Entretanto, dando um salto no tempo, visualizemos agora nosso Universo já coalhado de galáxias.
De alguma maneira elas começaram a ser formadas, separadas, umas das outras, por distâncias que mesmo viajando à velocidade da luz, mil vidas seriam insuficientes para cobrir a distância que as separa.
E a obscuridade cósmica passou a ficar pontilhada de muitas luzes, de muitos mundos. Dentre todos esses conglomerados estelares também lá estava nossa Via Láctea. Esse manto de estrelas que veste nossas noites, e ao qual pertence nosso Sol. Mas não apenas cheia de luzes. Evidentemente, também cheia de vidas e, destas vidas, as tradições vetustas das religiões hindus, herança que são da raiz ariana do centro asiático, mais precisamente do planalto mongólico e chinês, nos contam o seguinte:
Há uma hierarquia de Seres Arcangélicos administrando nossa galáxia como um todo. Nessa hierarquia um deles se destaca por sua superioridade, sobre todos os sentidos, e sobre todas as demais ordens existenciais contidas na galáxia. Sua fulguração áurica, como a figura Fig.01B demonstra, preenche todo o espaço abrangido pelo conglomerado. Mais do que isso: Ele a vivifica. E mais ainda, Ele é a vida da própria galáxia.
Assim como a vida de nosso corpo humano não é a matéria de que é constituído, mas o espírito que o anima, também este arcangélico SER, é a vida e é quem vivifica esse magnificente e gigantesco corpo chamado galáxia.
Não pasmem e nem se admirem, mas o ajuntamento estelar a que damos o nome de Via Láctea é o corpo tangível desse estupendo SER ! E´ o seu corpo visível, situado ao nível da matéria, desta mesma matéria de que se constitui o plano físico, no qual a Terra de nossos pés existe.
Ele é o topo da hierarquia que administra todo esse sistema. Para nos entendermos melhor, à essa hierarquia daremos o nome de Colegiado da Galáxia. Figurativamente representamo-la pelo desenho acima.
Ali temos o Ente Superior e Seus designados mais imediatos. São Eles o centro desse Colegiado e que se irradia por toda a galáxia. Este centro é chamado pelos ocultistas de o Sol Central. Sua localização é onde se situa o centro geométrico da Via Láctea.
Os homens do ramo das ciências astronômicas já desconfiam que um centro comum estabiliza e equilibra toda a Via Láctea. Ainda não conseguiram visualizar essa fonte de irradiação, pois nossos aparelhos são, por enquanto, insuficientes para isso. Contudo, os cálculos que analisam os movimentos estelares apontam para a existência de um centro aglutinador orbital para toda a galáxia. Alguma coisa, comparativamente, como o nosso sol é para seus planetas.
- - - / / / - - -
Continuaremos na apostila 02


Bibliografia:
Autor Título Editora

Allan Kardec - A Gênese - páginas 111, 117, 118 à 140 da 19ª edição - Federação Espírita Brasileira
Allan Kardec - O Livro dos Espíritos - 1º Livro, caps. 2, 3 e 4 - 2º Livro cap. 1 - Livraria Allan Kardec Editora
André Luiz/Francisco C. Xavier - Evolução em Dois mundos - Federação Espírita Brasileira
André Luiz/Francisco C. Xavier - Obreiros da Vida Eterna - páginas 50 e 51 - Federação Espírita Brasileira
Arthur E. Powell - O Sistema Solar - Editora Pensamento
Arthur E. Powell - O Corpo Causal e o Ego - Editora Pensamento
Charles W. Leadbeater - A Clarividência - página 51 - Editora Pensamento
Charles W. Leadbeater - A Mônada - Editora Pensamento
Emmanuel/Francisco C. Xavier - A Caminho da Luz - Federação Espírita Brasileira
E. Norman Pearson - O Espaço, o Tempo e o Eu - Edição do Autor
Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta - Volumes I ao VI - Editora Pensamento
Itzhak Bentov - À Espreita do Pêndulo Cósmico - Editora Cultrix/Pensamento
Pietro Ubaldi - A Grande Síntese - Livraria Allan Kardec Editora

Apostila escrita por
LUIZ ANTONIO BRASIL
Maio de 1996
Revisão em Janeiro de 2005

domingo, 25 de novembro de 2012

Ame seus inimigos, faça o bem para aqueles que te odeiam, abençoe aqueles que te amaldiçoam, reze por aqueles que te maltratam. Se alguém te bater no rosto, ofereça a outra face.

Jesus de Nazaré



sábado, 24 de novembro de 2012

Iandê Rudá



Iandê Rudá


Sagrado pai, em mim habitas
És todo o meu eu ou sou parte do um que és?

Tenho aprendido muito nessas experiências em que estou
São muitas vidas, o que queres mais?

Me fizestes um cacique guerreiro
Mas como quem ri de si, me tornaste um menino brincalhão

Inocente como um cãozinho doméstico
Bravo como um guerreiro que guarda o sol no coração

Me fizeste saudar a natureza
Hoje sou parte da ignorância que a destrói

Porque essa mente cósmica em mim?
Me sinto um estranho no meio de um nada

Recordo a tribo do arco e flecha que caçava para sobreviver
Abençoando a vida sagrada que me alimentava

Hoje penso no ar como energia da vida
Me deste amparo nas horas de ir
Aprendi com antigos sábios da natureza
Olhava o sol como Deus
Hoje vejo que és tudo...

Mas em meio duma cultura que se acha maior
Vejo meus irmãos se aniquilarem, sem amor

Fui assassinado pelas mãos da selvageria de outrora
Mas meu coração aprendeu o amor maior
Tento entender essa experiência, vejo que tudo é certo
As dores de meu coração, são as portas que se abrem para a ascensão 
Só reconhecido pela alma que me ama há muitas eras, que não viu o manto...mas meu coração

Me dá mais amor, mais sabedoria, nessa tribo humana dos canhões e das bombas
Assim poderei ser o guerreiro que amava a natureza e o menino que sorri para o céu, te procurando...

Ghost


Iandê Rudá - Indigena - nosso Deus de amor

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Diosa de Ébano



Diosa de Ébano

No momento da lágrima lá vem ela
Com um sorriso e um beijo
Balançando feliz, acariciando nosso rosto
Brilho no olhar, refletindo dor e perdas
Ensinando como sobreviver

Lá vem ela cantando
Sem olhar a quem agrada, só quer ser feliz
Faz feliz quem está por perto

Voz criança
Olhar luminoso
Gesto de carinho e afeto
Alegria, balanço e contágio
Ela tem o que ninguém tem

Ela vem, ela envolve, ela é encanto
Vem no balanço da raça, do amor, do carinho
Se todos fossem como ela, não haveria guerra

Tem a lágrima no rosto, mas cobre o sorriso do moço
Na memória ainda reflete o chicote bandido
Açoitada, mas nunca dominada...ressurge luminosa
Ensina como lutar, perder, mas ganhar
Assim ela vai mudando o mundo

Luz bendita da alma sofrida que aceita a prova
Numa carne que sofre preconceitos
Mas que carrega os vencedores da paz.

Ghost 

(Texto baseado na música Ella Elle L'a - France Gall)


video

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Acorda...



Acorda...

Você é um ser único: não se prenda a regras que limitam a sua capacidade de amar e discernir o mundo e a realidade que te rodeia.
Somos levados por imposições sociais que nos forçam a fazer e pensar coisas...como bonecos enfileirados dentro duma forma de pensar e reagir, falamos as mesmas coisas, banalidades e reações que não condizem com a nossa real capacidade, mas somos forçados por costumes antigos que nos dizem que é assim que devemos agir.
Não podemos mais ficar presos nessa cadeia que nos limita o ser, somos do universo, não temos limites, obedeçamos às regras, mas não nos prendamos a elas.
Sejamos do bem, mas não nos sujeitemos à escravidão mental a que estamos submissos.
Você veste o que gosta ou é obrigado a usar o que está na moda? Vc se sente à vontade sendo quem vc é? e quem vc é...vc sabe?

Você já pensou quando o homem poderá ir até Saturno? Você sabia que vc pode ir sem naves?
Você sabia que existe vida inteligente fora do facebook?
O que são as dimensões? elas existem?
O que são mônadas? onde estão?
Existe algo além do "EU"?
O que é "Somos Um"?
Porque nascemos na Terra, num corpo físico?
O que é espírito?
O que é alma?
Existe algo além de nossa galáxia?
O que é galáxia?
Quantas existem?
Você sabe o tamanho da nossa galáxia? 
Você sabe quantas estrelas existem em nossa galáxia?
Quem é Deus? 
Deus é um ser?
Precisamos de sacerdotes ou podemos nos expandir pela consciência?
Existe alguma coisa além de acordar, comer, comprar, ir no face e dormir?
O que é diálogo?
Porquê quando se fala em ets não se fala em Deus?
Existem religiões noutros mundos?
Existe vida noutros mundos?
Existem outros mundos habitados?

Porque eu lutei tanto para estudar e ser "alguém" e hoje sinto como se nada tivesse mudado, só o meu ego?

O que é ego?

Onde estou? quem sou? por que estou aqui? quem fez tudo isso e pra quê?

Acorda...

Ghost

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

soldatoj



Soldatoj

Certa vez este vídeo teve a exibição proibida, mas a insistência de alguns fizeram ele permanecer no ar. Querem nos manter dormindo, servindo aos poderes ocultos direcionados aos sacerdotes que teimam em manter o poder que sustenta a arrogância de se acharem os deuses da Terra, nos mantendo escravos de um sistema que aliena seres pensantes, transformando-os em robozinhos programados que não pensam, só copiam e fazem o que lhe é imposto no subconsciente.
 Para o Amor não há força alguma que detenha sua ascensão, pois deuses somos todos nós, nos resta despertar e abrir nossa consciência cósmica, nesse dia todo sofrimento ficará no passado, nas lembranças que nos servirão de referência para o valor da paz. 
Você não é um corpo que perecerá, você é uma centelha divina que ruma ao todo de paz e luz...ajuda teu irmão, somos UM.

Ghost

* Soldatoj = Esperanto - Guerreiros

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons."
Martin Luther King

Drive - The Cars (Video EUA for Africa)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012




Flores Eternas



Para Ghost...meu eterno amor.

Beija-flor do meu coração, pássaro livre e amoroso que das alturas veio e me encontrou em meu secreto jardim...

De ágeis asas, de carinhosos olhos, com ternura sem fim se alimentando do meu amor e polinizando a flor do meu coração...

As pétalas de quem sou são tuas, o perfume que exalo é por ti que o faço: pra te trazer de volta sempre ao meu convívio,

Colibri celeste, anjo alado, que em nosso paraíso é rei e senhor, sou a flor que enrubesce ao teu contato,

Sou pedaço do jardim de Deus que a ti foi destinado, sou teu néctar e teu mel, e abrirei pra sempre meu coração a ti...

Voe pra mim que te receberei nos braços, te darei minha doçura, te alimentarei de amor, serei teu bem e tua flor...

Meu pássaro divino, meu homem amado, teu coração tem asas, que fizeram a minha felicidade por virem pousar na flor de minha alma...

Eu te amo por todo o sempre, meu coração...

 Bíndi


sexta-feira, 9 de novembro de 2012



"Apoema"


O amor não se submete, pois é sublime

Acima da razão, pois é sentimento
O amor não agride, pois é doce e é luz que clareia

Nenhum amor que julga é amor
Quem ama não acusa, quem ama não se ofende
O amor é o sustento da alma, nessa vida humana

Ninguém pode viver sem amar alguém, 
Ninguém pode amar sem servir ao irmão
Amor egoísta é para tolos
Pois o amor da alma é sublime

Ninguém serve ao irmão sem amar alguém
A base de todo amor é o próprio amor
Sentimento nobre, doado aos que já sabem ser bons

Falar de amor para corações endurecidos é como colocar porcos no jardim
Amor só vive por amor, amor só sente amor
Consciências que já escalaram os patamares da justiça e do olho por olho
...esses são os que já podem amar.

Ao contrário do amor superficial e das paixões, o amor da alma é duradouro
Arremata céus, subindo pela força da luz que lhe move
Nâo desapega de seres queridos, mas os resgata em missão serena
E no silêncio de risos e lágrimas, chega aos céus em glória, junta-se no UM.

Mas quando esse amor incomoda, ele se faz silêncio
Espera que as correntes da ignorância se rompam
Pois o destino de todos é amar uns aos outros
Em cada degrau de aceitação, tendo a base no coração.

Contendo em si a paz...espera cada um de nós
Sem dizer adeus, mas até breve
Deixando-nos a lição e a caridade do silêncio ante aos que ainda jazem em sombras da mente
Nos dizendo no íntimo de cada ser " o maior mestre é o silêncio".

"O maior homem que já habitou na Terra era mendigo, mesmo em seu calvário fez silêncio e respeitou a nossa ignorância."

Sigamos nosso guia de amor e paz...Jesus!!!

Ghost

* Dedicado para a mulher que amo com meu coração e com minha alma...Bindi"
*Apoema - Indígena - Aquele Que Vê Mais Longe.