segunda-feira, 6 de junho de 2016

Conhece-te a ti mesmo




Incrível é saber que somos apenas 4% de todo o nosso Universo, sendo 23% matéria escura e 73% energia escura, estamos diante do insondável. Logicamente que baseamos nossa formação e entendimentos nesses 4%, mas como não conhecemos a totalidade desses 4% podemos dizer que somos menos que ignorantes, estamos no estado bestial da consciência cósmica.

 A proporção do que sabemos dessa miserável parcela chega a ser irrelevante para entender a quantidade de galáxias existentes, cada uma com até trilhões de sóis em seu interior. 

Tudo isso é apenas uma perturbação do campo, se tornando mais louco quando percebemos que pode existir outros vários universos. Então travamos a mente nessa informação, nos voltamos para o micro entendimento ao nosso alcance, percebemos que a confusão que nos atinge é a mesma que acontece quando observamos o macro cosmos. 
Descobrimos então que um objeto pode estar em vários lugares ao mesmo tempo, se comportando de um modo quando o observamos e de outro modo quando não o observamos, atravessando obstáculos se projetando pro futuro e devolvendo a energia visível para o nosso presente, podemos vê-lo do outro lado do obstáculo, assim como também podemos observar o mesmo objeto presente do lado de seu lançamento original, isso tudo porque ele já estava lá, mas se estava lá como poderia estar aqui? 
Pensamos então nos 23% de matéria escura que não podemos detectar com nossa tecnologia, existimos em multiplicidade nos vários universos?

 Uma decisão que eu tome aqui é reflexo duma atitude que tomei em outro Universo, ou vice-versa? 
Não esqueçamos que somos seres habitantes no mais denso estado de matéria conhecido, mas nossa origem é energia pura, luz divina... 

Vamos encurtar e facilitar esse labirinto em que a ciência humana nos coloca: Pensemos num circulo de criaturas criadas por uma fonte original, ela está fora e dentro, mas o que está dentro não está fora, ela é capaz de prever nosso mais pequeno movimento e repeti-lo ou gerá-lo simultaneamente, por uma razão muito simples...somos a fonte; mais ainda...não existe o nós, mas o UM e suas partículas com senso de individualidade, logo...não existimos. 
Como também o que só existe é o menos denso que se projeta em nosso padrão de densidade, podemos lhe dar vários nomes, Eu Superior, Eu Sou, etc...é só ele que age, pensa e existe, lançando partículas percebidas só quando estamos prestando atenção, ou seja, quando enquanto presos ao ego nos notamos individualidades, dormindo e nos isolando do que verdadeiramente somos...assim fica fácil entender alguns ensinamentos bíblicos, tais como, “Desperta, ó tu que dormes!”, “Vós sois deuses”, “Eu e o Pai somos UM”. Por esses pequenos exemplos de entendimento interpretativo, podemos nos acometer da impressão do quanto deturpamos o que foi dito e o nada que somos e sabemos. Enquanto buscarmos fora o que habita em nossa consciência eterna, não teremos respostas, essas só ao desperto serão dadas.

Ghost

video